Palavras de Edificação 05


(Revista bimestral editada entre 1980 e 1997)

ÍNDICE


A Oração

Comentários ao Evangelho Segundo Mateus

Água Fresca

Exemplo às Mulheres

A Instituição do Matrimônio (cont.)

Em que Você Pensa?

Perguntas e Respostas

Sobre o Livro de Atos dos Apóstolos (cont.)

Elias

Exorcismo e Batismo no Catolicismo

O Triunfo do Crucificado

O Conteúdo da Bíblia

Continuaremos no Pecado?

Como é que a Baleia Desce ao Fundo do Mar?

Maravilhado



A ORAÇÃO


"Mas para vós, que temeis o Meu Nome nascerá o Sol da Justiça, e salvação trará debaixo das suas asas; e saireis, e crescereis como os bezerros do cevadouro" (Ml 4:2).


- Não sentes frio, não te sentes infeliz, a morar nestas condições, sem luz, sem nada? – perguntou alguém que visitava uma pobre menina enferma numa barraca muito pobre.

- De maneira alguma – foi a resposta.

- Mas – insistiu o outro – o Sol nem chega a entrar por aquela abertura. E o Sol faz muita falta. Quanto a mim, sem Sol, creio que morreria.

- Mas – respondeu a menina com um sorriso – o meu Sol brilha de noite e de dia. E entra, não só pela abertura, como também por todas as fendas das paredes. E perante a expressão de surpresa do interlocutor acrescentou: Jesus, o Sol da Justiça, está sempre a brilhar sobre mim, me dá calor, e luz à alma.

Voltar ao Índice


PARA MEDITAR:

A oração aproxima o homem de Deus, aproxima a fraqueza humana do poder de Deus; dá alívio ao coração oprimido.

A oração é o remédio e o recurso do crente, seja em que tempo e em que ocasião for.

"Orai sem cessar" (1 Ts 5:17).



COMENTÁRIOS AO EVANGELHO SEGUNDO MATEUS

Capítulo 4


Os versículos 1 a 11 narram a tentação de Jesus pelo diabo. "Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo" (v.1). O primeiro homem, Adão, foi tentado pelo diabo num paraíso que era testemunho da incomparável bondade de Deus. Cristo, "o último Adão" (1 Co 15:45), foi tentado num deserto depois de ter jejuado durante quarenta dias e quarenta noites. Por que está escrito que Jesus, "foi conduzido pelo Espírito ao deserto"? Parece-nos que, era necessário que Jesus Se revelasse tal como era, o Homem perfeito e obediente, que glorificava Deus neste mundo, onde todo o resto da humanidade tinha fracassado. E Deus, aproveitou as maquinações sutis do diabo, para pôr em evidência a perfeita obediência do Seu Filho amado.


"Se Tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães" (v.3). Jesus rebateu-o apenas com um só versículo da Bíblia: "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus" (v.4). Jesus não viera para mandar, mas sim para obedecer a Deus. E, como não havia nenhuma ordem de Seu Pai para que convertesse as pedras em pão, não o fez; além disso, Ele nunca iria fazer fosse o que fosse que o diabo Lhe tentasse, visto que havia Seu Pai para cuidar d'Ele.


"Então o diabo O transportou à cidade santa, e colocou-O sobre o pináculo do templo. E disse-Lhe: Se Tu és o Filho de Deus, lança-Te daqui abaixo; porque está escrito: Que aos Seus anjos dará ordens a Teu respeito: e tomar-Te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra" (vs.5-6). Agora o próprio diabo se mostra como religioso e cita até as Escrituras, procurando enganar Jesus; mas Ele sabia que o lançar-Se do templo abaixo, seria "tentar" Deus, e replicou ao diabo: "Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus" (v.7). "Também está escrito". Toda a Palavra de Deus, a Bíblia, está relacionada entre si e cada parte se apoia na outra. Não podemos tirar um texto do seu contexto, e usá-lo sem que seja em harmonia com todos os outros das Escrituras.


"Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-Lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-Lhe: Tudo isto Te darei se, prostrado, me adorares" (vs.8-9). Enfim, desta vez o diabo revelou-se tal como era: sendo um ser orgulhoso e cheio de vaidade, cobiçava ser adorado da mesma forma que Deus era. Então Jesus mostrou-Se mais forte, porque mandou: "Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a Ele servirás" (v.10).


"Então o diabo O deixou" (v.11). Ele não pôde fazer nada contra Jesus, o qual venceu-o unicamente com três versículos de um só livro da Bíblia: Deuteronômio 8:3; 6:16 e 6:13.


"E, eis que chegaram os anjos, e O serviram" (v.11). A prova de que a Sua obediência foi perfeita é que Deus Lhe enviou anjos que Lhe proveram às suas necessidades.


Nessa altura, Jesus, tendo sido expulso de Nazaré (Lc 4:29), morava em Cafarnaum, cumprindo assim a profecia de Isaías, escrita sete séculos antes que Ele tivesse nascido (vs.14-16).


"Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus" (v.17). O arrependimento não salva; ele é o passo imprescindível para a salvação. O arrependimento consiste em julgar-se na presença de Deus, à luz da Sua Palavra. É a "benignidade" de Deus que leva o pecador ao "arrependimento" (Rm 2:4). Paulo anunciava "tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo" (At 20:21). Há certas traduções feitas pela igreja católica romana que dizem o versículo 17 desta forma: [Fazei penitência… – VC]. É uma tradução incorreta. A palavra de Deus denomina a penitência e coisas semelhantes como sendo "obras mortas" (Hb 6:1) feitas por pecadores "mortos em seus ofensas e pecados" (Ef 2:1).


Depois Jesus viu dois irmãos – Simão e André – lançando a sua rede ao mar, porque eram pescadores, e disse-lhes: “Vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens” (v.19). E, mais adiante, “viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João seu irmão, e chamou-os” (v.21) também. E os quatro: “seguiram-no” (v.22). Que poder vivo e que atração irresistível exercia a Palavra, e a Pessoa do Senhor da glória, Jesus! Homens deixavam imediatamente a sua profissão, e alguns até seus próprios parentes, para seguir o Messias, que os judeus viriam a recusar e a desprezar.