Palavras de Edificação 13

(Revista bimestral editada entre 1980 e 1997)

ÍNDICE


Perdão

Sobre o Livro dos Atos dos Apóstolos (Cont.)

O Incrível Fígado Humano

Timóteo e Maura

Sobre o Evangelho de Mateus (Cont.)

Contrastres entre Israel e a Igreja (Cont.)

As Bênçãos

A Instituição do Matrimônio (Cont.)

Dando o Exemplo

A Raposa

Exortação aos Recém-Convertidos

Atos 11:23

Confirmados na Presente Verdade (2 Pe 1:12) (Cont.)

Substituição

O Pecado para Morte

PERDÃO


"Mas a vós, que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos aborrecem; Bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam" (Lc 6:27-28).


Nunca guardes ressentimento no teu coração, seja qual for o mau trato que tenhas recebido do teu injuriador. Se lhe perdoares, serás muito mais feliz. Lembra-te das palavras da verdade: "sua glória é passar sobre a transgressão" (Pv 19:11). O Senhor Jesus disse aos Seus discípulos: "Quando estiverdes orando, perdoai,para que o vosso Pai,vos perdoe as vossas ofensas" (Mc 11:25). A atitude perdoadora traz a verdadeira felicidade, mas a mágoa acarreta o remorso.


"A Quem tenho eu no céu senão a Ti? e na Terra não há Quem eu deseje além de Ti" (Sl 73:25). Enquanto o salmista meditava sobre a porção que era sua no Senhor, e ao mesmo tempo anelava desfrutar da sua herança celestial, ele perdeu o seu interesse nas coisas terrenas, e não cobiçou mais aquilo que era meramente temporal e transitório.


voltar ao Índice

SOBRE O LIVRO DOS ATOS DOS APÓSTOLOS

(continuação do número anterior)

Capítulo 28:16-31


"E, logo que chegamos a Roma, o centurião entregou os presos ao general dos exércitos; mas a Paulo se lhe permitiu morar sobre si à parte, com o soldado que o guardava. E aconteceu que, três dias depois, Paulo convocou os principais dos judeus, e, juntos eles, lhes disse: Varões irmãos, não havendo eu feito nada contra o povo, ou contra os ritos paternos, vim contudo preso desde Jerusalém, entregue nas mãos dos romanos; os quais havendo-me examinado, queriam soltar-me, por não haver em mim crime algum de morte. Mas, opondo-se os judeus, foi-me forçoso apelar para César, não tendo, contudo, de que acusar a minha nação. Por esta causa vos chamei, para vos ver e falar; porque pela esperança de Israel estou com esta cadeia" (At 28:16-20).


"A esperança de Israel" é o Senhor Jesus Cristo, o seu grande Messias; assim foi escrito a respeito d'Ele no Velho Testamento: "Ó Senhor, Esperança de Israel! todos aqueles que Te deixam serão envergonhados; os que se apartam de Mim serão escritos sobre a terra; porque abandonam o Senhor, a fonte das águas vivas" (Jr 17:13). O Senhor do Velho Testamento é Jesus do Novo. "Chamarás o Seu nome JESUS, porque Ele salvará o Seu povo dos seus pecados" (Mt 1:21). O povo de Quem? Israel, o povo do Senhor!


Desde a conversão de Saulo de Tarso, até à sua chegada a Roma, a sua pregação de Cristo, que é o Filho de Deus, foi contrariada pelos judeus, os quais procuraram, além disso, matá-lo. Qual foi a atitude dos judeus? regressados a Roma alguns anos depois do edito do imperador Cláudio, que os tinha lançado fora de Roma.


"Então eles lhe disseram: Nós não recebemos acerca de ti cartas algumas da Judéia, nem veio aqui algum dos irmãos, que nos anunciasse ou dissesse de ti mal algum. No entanto bem quiséramos ouvir de ti o que sentes; porque, quanto a esta seita, notório nos é que em toda a parte se fala contra ela. E, havendo-lhe eles assinalado um dia, muitos foram ter com ele à pousada, aos quais declarava com bom testemunho o reino de Deus, e procurava persuadi-los à fé de Jesus, tanto pela Lei de Moisés como pelos profetas, desde pela manhã até à tarde. E alguns criam no que se dizia; mas outros não criam" (At 28:21-24).


Quando o Senhor Jesus, já ressuscitado dentre os mortos, repreendeu a insensatez dos discípulos no caminho para “Emaús” (Lc 24:13), Ele "começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que d'Ele se achava em todas as Escrituras" (Lc 24:27). E, Paulo, falou da mesma forma aos judeus em Roma, mas eles eram incrédulos, e só uma parte deles recebeu a palavra com fé.


"E, como ficaram entre si discordes, se despediram, dizendo Paulo esta palavra: Bem falou o Espírito Santo a nossos pais pelo profeta Isaías, dizendo: Vai a este povo, e dize: De ouvido ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; e, vendo, vereis, e de maneira nenhuma percebereis. Porquanto o coração deste povo está endurecido, e com os ouvidos ouviram pesadamente, e fecharam os olhos, para que nunca com os olhos vejam, nem com os ouvidos ouçam, nem do coração entendam, e se convertam e Eu os cure. Seja-vos pois notório que esta salvação de Deus é enviada aos gentios, e eles a ouvirão. E, havendo ele dito isto, partiram os judeus, tendo entre si grande contenda" (At 28:25-29).


Quando os pobres judeus ouviram que Deus ia abençoar os gentios em vez deles, não quiseram ouvir mais, e foram-se embora. Assim terminou a sua triste história de incredulidade, escrita no livro de Atos, e de uma oposição tenaz à graça de Deus.


"E Paulo ficou dois anos inteiros na sua própria habitação que alugara, e recebia todos quantos vinham vê-lo. Pregando o reino de Deus, e ensinando com toda a liberdade as coisas pertencentes ao Senhor Jesus Cristo, sem impedimento algum" (At 28:30-31).


Paulo estava impedido de se movimentar livremente, porém continuava pregando o reino de Deus, e o que dizia respeito ao Senhor Jesus Cristo, apesar da cadeia de César; e animava os crentes em Roma: "muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a Palavra mais confiadamente, sem temor" (Fp 1:14). Também tinha pena, visto que alguns pregavam "a Cristo por inveja e porfia" (Fp 1:15). Porém disse: "Mas que importa? contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda" (Fp 1:18).


Durante a sua prisão numa casa alugada, ele escreveu as seguintes epístolas: Efésios, Filipenses, Colossenses, Filemon e Hebreus (esta última é anônima, porém o seu conteúdo revela quem foi o autor). Quanto de bem resultou do encarceramento de Paulo para a Igreja do Senhor! De duas ou três passagens destas epístolas, deduzimos que Paulo foi libertado depois de ter aparecido a primeira vez perante Nero: "fiquei livre da boca do leão" (2 Tm 4:17). Leia ainda Filemon 1:22(1) e Hebreus 13:23(2).


Assim se cumpriu a palavra profética do Senhor Jesus: "este é para Mim um vaso escolhido, para levar o Meu Nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel. E Eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo Meu Nome" (At 9:15-16).

Pensamento:

A humildade diante do homem é pelo menos a melhor prova da restauração da alma para com Deus.

(J.N.Darby)